IEST – Instituto de Educação e Saúde de Taquara

História

No mês de setembro de 2001 o sonho nasceu no coração do fundador e atual Diretor Geral do IEST, Diego Silva, de estabelecer uma escola de sustento próprio no Brasil. Em janeiro de 2002, um ministério de pregação itinerante foi organizado por ele a fim de divulgar esse sonho. Dessa forma, patrocinadores passaram a se interessar pelo projeto. Em abril do mesmo ano, uma chilena chamada Marisol Tornel conheceu a Diego e se familiarizou com seus planos. Interessantemente, ela havia acabado de adquirir um terreno no pé da Serra de Petrópolis que pertence ao município de Duque de Caxias. Essa propriedade foi comprada porque Marisol queria fundar uma instituição de sustento próprio para auxiliar a juventude brasileira. Marisol ficou muito interessada na possibilidade de unir seus recursos com os talentos, experiência e energia de Diego. Ele, por sua vez, não se interessou tanto a princípio, visto que Marisol havia lhe dito que a fazenda estava situada na Taquara. Diego logo imaginou que ela se referia ao estado do Rio Grande do Sul, e concluiu que seria inviável estabelecer uma escola numa região do país onde ele não conhecia ninguém. Foi somente depois de dois meses que ele entendeu, numa conversa via telefone com Marisol, que essa propriedade estava situada poucos quilômetros da cidade de Petrópolis, onde Diego havia nascido. Ele nunca tinha ouvido falar do bairro da Taquara localizado no 3º distrito de Duque de Caxias.

Com quase absoluta certeza que isso jamais poderia ser uma mera coincidência, fez planos de visitar a fazenda numa viagem missionária que havia programado fazer para o Brasil com alguns colegas da faculdade. Quando ele e seu colega, Brian Beavers, pisaram no terreno em agosto de 2002, ambos enxergaram com os olhos da fé que nesse local seria estabelecida a primeira escola de sustento próprio dos adventistas do sétimo dia a funcionar efetivamente no Brasil.

Depois de três semanas muito abençoadas em que os missionários dos Estados Unidos se hospedaram na fazenda da Marisol e realizaram semanas de oração nas cidades de Petrópolis e Duque de Caxias, planos foram lançados para iniciar a escola no mês de janeiro de 2003. Esses planos, no entanto, foram frustrados quando de repente Marisol desistiu de seu objetivo e da noite para o dia colocou a fazenda à venda. O desapontamento que Diego sentiu quando soube das notícias, embora não chegasse perto da decepção dos discípulos de Jesus após Sua crucifixão e da dos mileritas depois de 22 de outubro de 1844, não deixou de deixar o coração do jovem estudante totalmente abalado. Convicto que Deus estava guiando todos os passos, e que aquela propriedade era o lugar que Deus havia designado para estabelecer esse novo ministério, ficou confuso com a decisão de Marisol. Alguns meses de reflexão, oração e sondagem de coração levaram Diego a concluir que a propriedade poderia ser aquela indicada por Deus, e que talvez seu erro estivesse relacionado ao tempo em que a escola devia começar. A final de contas, seu entusiasmo quanto ao breve estabelecimento da escola no Brasil havia o levado a concluir que chegara o momento de abandonar a faculdade três anos antes de concluir o curso. Em retrospectiva, Diego agradece muito a Deus por tê-lo segurado alguns anos a mais nos Estados Unidos a fim de prepará-lo melhor para sua missão no Brasil.

Depois de alguns meses fez contato com Marisol a fim de saber como estava o processo da venda da propriedade. Quando soube que não havia ainda um comprador, surgiu-lhe esperança no coração. Quando cogitou com Marisol a possibilidade de vender a propriedade a ele, ela não o levou tão a sério, imaginando que um jovem cursando faculdade, cuja família não tinha grandes condições financeiras, jamais poderia pagar seu valor. Em 2001 ela havia pagado o valor de R$380.000,00 no terreno, valor equivalente a US$100.000,00 (US$ 1,00 chegou a R$3.80 na época). Em 2003, Marisol calculou que havia feito investimentos que alcançavam o valor de US$30.000,00, além dos US$100.000,00 da compra da propriedade. Foi uma surpresa boa, e ao mesmo tempo uma proposta desafiadora quando Marisol concedeu a Diego a oportunidade de tentar comprar o terreno pelo valor de apenas US$80.000,00 (equivalente a R$240.000,00 em meados de 2003)!

No final de julho de 2003 Marisol lançou a seguinte proposta a Diego. Dê uma entrada de US$20.000,00 até o dia 15 de setembro, e termine de pagar os US$60.000,00 até o mês de abril de 2004. Caso não conseguisse os US$20.000,00 do sinal, seria um indício para ela de que ele não conseguiria comprar. Sem pensar duas vezes Diego aceitou a proposta. Alguns dias depois, ele caiu na realidade. “Como conseguirei os US$20.000,00 em tão pouco tempo?”, foi sua indagação. Depois sentiu a paz de Deus quando concluiu que Deus é o dono da prata e do ouro, e que se fosse Sua vontade o dinheiro seria provido. Faça tudo o que estiver em seu alcance fazer, descanse em Deus, e confie que Ele é capaz de fazer a Sua parte se perceber que é o melhor para Sua causa. Essa foi a mensagem inconfundível que Diego ouviu de Deus.

Cartas foram escritas, telefonemas feitos, e viagens realizadas nas seis semanas seguintes com o intuito de levantar os US$20.000,00. Para o seu desapontamento, na última semana do prazo havia conseguido arrecadar apenas US$3.000,00. Cada dia durante aquela semana que precedeu o dia 15 de setembro ele abria a caixa postal esperando encontrar um cheque de vários mil dólares, mas nada. Finalmente chegou o dia 15, e o prazo não foi alcançado. Marisol estava no campus de sua escola naquele dia, e o abordou perguntando como iam as coisas, certamente se referindo à compra do terreno. Diego, não querendo admitir que não houvesse alcançado, e que o terreno não seria adquirido, pediu que ela esperasse até o final do dia.

Algumas horas depois de conversar com Marisol, alguém o abordou informando-o que um médico argentino da Califórnia havia recebido uma carta sua e que se impressionou com o seu projeto. Diego achou estranho, pois há algumas semanas havia feito contato com esse médico, o qual se mostrou um pouco indiferente ao apelo. Depois ele veio a descobrir que o médico estava receoso porque não conhecia bem a Diego. No entanto, durante esse intervalo, um pastor muito respeitado nos EUA entre os adventistas do sétimo dia deu uma ótima referencia acerca de Diego a esse médico, e isso o levou a comprometer-se a doar o valor de US$30.000,00 para o projeto. Essa notícia chegou a Diego antes do final do dia 15! Ainda nesse mesmo dia, Diego soube que mais US$20.000,00 seriam doados ao projeto. Agora ele tinha não somente o valor da entrada, mas tinha mais do que a metade do valor do terreno! Deus confirmou que essa era a propriedade que usaria para transmitir Suas bênçãos.

No mês de maio de 2004 a propriedade foi adquirida de Marisol. Em setembro do mesmo ano foi realizado o primeiro congresso do IEST. Em 2006 foi registrada no Cartório do 4º Ofício de Duque de Caxias a associação filantrópica sob o título Instituto de Educação e Saúde de Taquara. No mês de junho os primeiros obreiros e alunos começaram a chegar ao campus. Em janeiro de 2007 as primeiras aulas iniciaram-se. Em novembro de 2008 a primeira turma se formou. Hoje mais de 20 jovens que se formaram na escola estão ativos no campo servindo a Deus como obreiros bíblicos e médicos missionários. A perspectiva é de até o ano 2013 termos mais de 50 jovens servindo ao Senhor espalhados em todo o Brasil.

Be Sociable, Share!